Cartas de Gestão #26

O dinheiro do dono e o dinheiro da fazenda

25 de setembro de 2020
______
Este texto foi, originalmente, enviado no e-mail de nossos leitores na newsletter Cartas de Gestão, que enviamos semanalmente com textos e conteúdos sobre gestão de fazendas.

Para receber em primeira mão os próximos textos e demais conteúdos sobre gestão rural, cadastre seu e-mail abaixo.
O DINHEIRO DO DONO E O DINHEIRO DA FAZENDA
Imagine que você esteja querendo investir no agronegócio e esteja procurando fazendas para comprar.

Na sua mesa há somente 2 opções e ambas estão situadas em uma boa região para o agronegócio.

As duas fazendas já estão bem estruturadas e não há necessidades claras de novos investimentos.

Mas existe uma diferença entre as duas. Em uma, o atual proprietário possui uma clareza de diferenciação dos números. Isto é, ele possui uma gestão financeira organizada, sabendo cada centavo que é da fazenda e cada centavo que é dinheiro pessoal.

No outro caso, o atual proprietário não possui este tipo de diferenciação. Ele sequer se preocupa em tentar separar e segue tocando o negócio e sua vida pessoal na mesma conta bancária e sem o mínimo de organização financeira.

Do seu ponto de vista, de uma pessoa que está querendo investir no agronegócio brasileiro, qual o caso despertaria mais o seu interesse?

A vasta maioria das pessoas responderia que o primeiro caso, o da fazenda que possui diferenciação entre as contas pessoais e contas do negócio, é mais interessante. E eu estaria totalmente de acordo.

Veja bem, o proprietário da fazenda no primeiro caso saberia te informar os números reais do negócio. Ele possui controles que permitem enxergar O NEGÓCIO de forma clara.

Já no segundo caso, o proprietário toca a fazenda sem clareza e, consequentemente, sem precisão. No fundo, não se sabe qual o desempenho do negócio.

E é por estes motivos que eu te oriento a separar o que é dinheiro da fazenda (dinheiro do negócio) do que é dinheiro pessoal.

Entenda que, no fundo, é tudo dinheiro do dono! O dinheiro da fazenda é também dinheiro do dono, já que ele ou ela é o dono ou a dona do negócio.

Não há questionamento sobre isso.

Entretanto, você só vai conseguir ter clareza sobre as informações e o desempenho do seu negócio se você separar o que é cada coisa.

O PRIMEIRO PASSO de tudo na gestão de fazendas é justamente esse. Separar as contas da fazenda das contas pessoais.

E há basicamente 3 formas de fazermos isso. Vamos começar da mais difícil para a mais fácil.


FORMA 01 - Tudo na mesma conta
A primeira maneira é trabalhar com o dinheiro da fazenda e o dinheiro pessoal tudo na mesma conta bancária. Como a maior parte dos produtores tocam o negócio na Pessoa Física, isso acaba não sendo problema.

Mas esta forma de gerenciar gera MUITAS dificuldades.

O que acontece é que você vai precisar ter um controle financeiro ainda mais apurado e com um nível de organização muito maior.

Como está tudo na mesma conta, será imprescindível que você faça um controle muito frequente para distinguir as movimentações e depois ter os números nas mãos.

Dá para tocar o negócio assim? Dá! Mas não é a maneira mais fácil e nem a mais adequada. Esteja ciente de que o seu trabalho será maior e sua atenção precisa ser maior também.

Entenda que estamos falando aqui sobre diferenciar o que é dinheiro do negócio e o que é dinheiro pessoal. Estando os dois na mesma conta, você não enxergará isso de forma clara e imediata e, portanto, vai precisar diferenciar isso por meio de alguma planilha muito organizada e bem detalhada.


FORMA 02 - Contas diferentes, mas no mesmo banco
Esta forma é melhor do que a primeira. Na prática você terá duas contas no banco, uma para a fazenda e outra para a suas contas pessoais.

Perceba que a organização fica facilitada com esta forma, já que você poderá consultar cada conta separadamente e realizar as anotações, classificações e análises que precisam ser feitas.

O problema com essa forma é que pode acabar havendo confusão. O produtor queria pagar uma conta da fazenda e pagou com cartão da conta pessoal, ou o oposto. Já vi isso acontecer.

Não é um problema tão grave se você se lembrar e depois corrigir nos seus controles de gestão financeira.

Mas pode se tornar uma dor de cabeça no futuro, caso você não se lembre desse engano.


FORMA 03 - Contas diferentes em bancos diferentes
Esta, no meu modo de ver, é a maneira mais adequada pela facilidade de organização.

E não há muito segredo nesta forma, basta apenas que você faça o acompanhamento e gerenciamento de cada conta.

No final do dia, seu trabalho como gestor financeiro acaba sendo facilitado.

E o ideal é que a conta da fazenda fique em algum banco que tenha boas condições para crédito rural. Isso facilita as coisas, caso seja necessário um financiamento.

Enfim, se você é o dono do negócio, o dinheiro do negócio é também o seu dinheiro. Mas, você PRECISA ter uma separação entre o capital do negócio e o seu capital pessoal como forma de organização e clareza nos dados.

Sendo o mais honesto possível com você, eu desconheço algum caso de fazendas com elevado nível de desempenho financeiro que não tinham uma separação entre dinheiro pessoal e dinheiro do negócio.

E sabe o motivo disso?

Porque se o gestor não possui uma separação do que é do negócio e o que é pessoal, ele não tem clareza sobre as informações financeiras da fazenda e, consequentemente, não consegue medir seu desempenho.

Se ele não consegue medir o desempenho, ele não pode afirmar absolutamente nada sobre o negócio e fica completamente no escuro. Algo que não queremos de maneira alguma.

Um forte abraço e um ótimo final de semana,

Autor
Gabriel H. Lima
Eng. agrônomo e fundador da PATRIA

Imagem