Cartas de Gestão #25

Quanto tempo demora para um investimento na fazenda se pagar?

18 de setembro de 2020
______
Este texto foi, originalmente, enviado no e-mail de nossos leitores na newsletter Cartas de Gestão, que enviamos semanalmente com textos e conteúdos sobre gestão de fazendas.

Para receber em primeira mão os próximos textos e demais conteúdos sobre gestão rural, cadastre seu e-mail abaixo.
QUANTO TEMPO DEMORA PARA UM INVESTIMENTO NA FAZENDA SE PAGAR?
Caro(a) leitor(a),

Na sua opinião, o que é pior: ter informações erradas sobre alguma coisa e ter que tomar decisões com base nessas informações erradas OU não ter nenhuma informação e ter que tomar decisões?

Esse é um problema clássico entre não ter um mapa ou possuir um mapa errado. Qual é melhor para você?

Para Nassim Taleb, autor de ótimos livros como A Lógica do Cisne Negro, Antifrágil e Iludidos pelo Acaso (recomendo a leitura de todos para aprofundar seus conhecimentos sobre gestão de riscos), ter um mapa errado é PIOR do que não ter um mapa.

E eu concordo plenamente. É preferível tomar decisões sem qualquer tipo de informação prévia para basear sua decisão do que baseá-la em informações erradas.

E isso se conecta diretamente com o assunto que pensei em trabalhar no texto desta semana.

O que é preciso levar em conta para decidir fazer ou não um investimento na fazenda? O que deveria ser analisado? Ou, em linhas gerais, como julgar a viabilidade de um investimento na fazenda?

Esses questionamentos deveriam ficar martelando na cabeça de todo e qualquer gestor(a) de fazendas.

No fundo, quando pensamos aqui em negócios (e tratamos fazendas como empresas e isso, consequentemente, nos faz enxergar fazendas como negócios) estamos em busca de maiores lucros e maiores retornos.

E no fundo, no fundo, no fundo... o que procuramos é rentabilizar o patrimônio líquido do proprietário.

Portanto, a decisão de onde investir parcela do capital da fazenda tem um peso elevadíssimo no resultado da fazenda que, por sua vez, terá impacto no patrimônio do produtor.

Pois bem, como você avalia se um investimento na fazenda será viável ou não? Para quais informações você olha?

Nestes tipos de situações, engana-se quem pensa que os produtores não fazem contas. É claro que fazem.

Ainda temos muito a melhorar quando pensamos na gestão de fazendas, mas ninguém é bobo e quando se trata de dinheiro, todos nós fazemos contas.

Mas, infelizmente, muitas vezes os produtores acabam não fazendo as contas certas. Àquelas que realmente vão mostrar a viabilidade econômica do investimento.

De maneira resumida, temos 4 indicadores principais para analisar neste quesito: o Valor Presente Líquido (VPL), a Taxa Interna de Retorno (TIR), o Payback e o Índice de Lucratividade.

Não vamos tratar dos 4 agora, pois hoje gostaria de focar naquele que talvez seja um dos mais comuns e fáceis de se calcular: o Payback.

O Payback nada mais é do que a quantidade de tempo que vai demorar para que o produtor recupere o valor investido.

Ou seja, se você investir 100 hoje, daqui a quanto tempo você terá estes 100 de volta?

Simples, né?

Nem tanto...

As coisas nunca são tão simples quanto parecem.

Existe uma questão importantíssima que precisamos levar em consideração quando analisamos investimentos na fazenda: o TEMPO!

O que difere um investimento de um custo é a quantidade de tempo que este gasto vai gerar benefícios para a fazenda. Ou seja, se você gastar com algo e esse algo só for utilizado por um único processo produtivo, entendemos e classificamos isso como um custo. Agora, se você gastar com algo e este algo for utilizado e gerar benefícios por mais de um processo produtivo, entendemos e classificamos como um investimento.

Portanto, quando estamos tratando de investimentos, estamos falando de gastos que vão gerar algum tipo de benefício por um tempo mais longo, geralmente, por vários anos.

Este benefício pode se dar de diversas maneiras. Pode ser por meio de um aumento nas receitas, por uma redução nos custos ou mesmo por uma simples melhoria de condições da fazenda que, em maior ou menor grau, vai representar alguma melhora na forma de trabalhar ou a possibilidade de se ter alguma melhora operacional, etc...

Mas, retornando ao Payback agora, imagine que você vai investir 100 hoje e, de acordo com suas contas e projeções, este investimento vai proporcionar os seguintes fluxos de caixa anuais para a fazenda: +50, +50, +10, +10, +5.

Ou seja, as projeções com este investimento indicam que você vai gastar 100 neste ano e obter benefícios pelos próximos 5 anos com aumentos no fluxo de caixa da fazenda.

E o Payback deste investimento seria de 2 anos. Você investe 100 hoje, no ano seguinte recupera 50 e no próximo recupera mais 50, ficando com a conta "zerada", certo?

Errado!

É errado fazer as contas assim, pois estamos considerando valores que estão no futuro. E isso é extremamente importante. A questão do tempo tem uma relevância ENORME para as decisões financeiras.

Para tentar esclarecer isso, pense o seguinte: considerando que todas as opções são 100% seguras, você preferiria receber 100 mil reais hoje ou 150 mil reais daqui a um ano?

Mas, se as opções forem receber 100 mil reais hoje ou receber 102 mil daqui a um ano, sua escolha mudaria?

Para a maioria das pessoas, a escolha mudaria. Geralmente, nós escolheríamos esperar 1 ano e receber um valor maior na primeira situação e escolheríamos não esperar e receber um valor menor na segunda situação.

O que faz isso acontecer é a perspectiva que temos do dinheiro com relação ao futuro. Ou seja, um valor que está no futuro precisa ser relativamente superior quando comparado a algum referencial.

O que pensamos é: na primeira situação, se eu receber os 100 mil hoje, eu vou conseguir gerar 50 mil a mais em um ano? Se eu achar que não vou conseguir, então minha escolha lógica seria receber 150 mil daqui a um ano. Agora se eu achar que, recebendo os 100 mil hoje, eu conseguiria render este dinheiro para ganhar mais de 50 mil, minha escolha seria por receber tudo agora.

Consegue compreender a lógica?

E aí o que precisamos procurar é algo conhecido como taxa de desconto. Esta taxa de desconto, é a taxa que você vai descontar o valor que está no futuro para encontrar este valor no presente.

Ou seja, entre receber 100 mil reais hoje ou 150 mil reais daqui a um ano, eu preferiria receber 150 mil daqui a um ano. Mas e se as opções fossem 110 mil hoje ou 150 mil daqui a um ano? E se fossem 140 mil hoje ou 150 mil daqui a um ano?

Qual desconto que eu daria nos 150 mil do futuro para que eu escolha receber hoje? Essa é a pergunta chave.

Ou em outras palavras: quanto vale estes 150 mil (do futuro) hoje?

Supondo que, para mim, estes 150 mil futuros valeriam hoje 134 mil. Isto é, se as opções fossem entre receber 150 mil daqui a um ano ou receber qualquer valor abaixo de 134 mil hoje, eu preferiria os 150 no futuro. Agora se fosse para receber mais de 134 hoje, eu preferiria receber agora.

Portanto, a minha taxa de desconto é de 12%, já que 150 mil dividido por 1,12 resulta em 134 mil.

Isso quer dizer que para mim, recebendo 134 mil hoje, minha expectativa é de que eu consiga render este capital em 12% daqui a um ano e obter os 150 mil.

Portanto, você precisa definir uma taxa de desconto para analisar a viabilidade das suas decisões financeiras na fazenda. E a minha sugestão é para que você considere o custo do seu capital como taxa de desconto.

Estas questões sobre custo do capital e como aplicar esta taxa de desconto para encontrar os valores futuros em termos de valores presentes nós vamos deixar para outra oportunidade.

Voltando ao nosso exemplo do Payback em que investimos 100 hoje e esperamos receber +50, +50, +10, +10 e +5 ao longo dos próximos anos. Se fizéssemos a conta sem colocar os valores futuros em termos de valor presente, o nosso Payback seria de 2 anos. Um belo de investimento, né?

Investir hoje e já recuperar o valor investido em 2 anos? Um baita negócio!

Mas, vimos que este cálculo não representa a realidade financeira, pois precisamos considerar o valor do dinheiro no tempo (no limite da situação, a sua taxa de desconto deve ser no mínimo a inflação esperada).

Desta forma, considerando uma taxa de desconto de 12%, os fluxos de caixa projetados para o futuro sairiam daqueles valores mencionados para: +44,64; +39,86; +7,12; +6,36 e +2,84.

Fazendo as contas com estes valores, o nosso Payback não é mais de 2 anos, mas sim 5 anos. E isto é o que nós chamamos de Payback Descontado, pois ele desconta os valores futuros por uma taxa que os representem como valores presentes.

Meu amigo e minha amiga, analisar uma decisão de investir na fazenda e chegar a conclusão que esse investimento "se paga" em 2 anos é MUITO diferente de chegar a conclusão que ele se "se paga" em 5 anos.

São 3 anos a mais de trabalho e riscos. Isso faz uma enorme diferença.

É muito importante que você tome decisões embasadas nas informações certas.

Um mapa errado pode ser muito mais prejudicial do que não ter um mapa. Mas, sem sombra de dúvidas, a melhor alternativa é possuir um mapa certo.

Um forte abraço,

Autor
Gabriel H. Lima
Eng. agrônomo e fundador da PATRIA

Imagem