Cartas de Gestão #07

Sua fazenda contra ela mesma

15 de maio de 2020

______
Este texto foi, originalmente, enviado no e-mail de nossos leitores na newsletter Cartas de Gestão, que enviamos semanalmente com textos e conteúdos sobre gestão de fazendas.

Para receber em primeira mão os próximos textos e demais conteúdos sobre gestão rural, cadastre seu e-mail abaixo.
SUA FAZENDA CONTRA ELA MESMA
Às vezes é interessante realizar uma análise retrospectiva sobre como está sendo o desenvolvimento da fazenda ao longo dos anos.

Isso te permite verificar em que direção a empresa rural está indo. E se está de acordo com o que você esperava e o que você deseja.

Procure reparar em questões estruturais das fazendas. Como estão as instalações, as máquinas, as casas, cercas e até mesmo a entrada da fazenda?

Estão havendo melhorias ao longo do tempo? Estruturalmente, a fazenda está melhor do que a 5 ou 10 anos atrás?

E quanto aos indicadores do negócio? Está havendo evolução?

Este tipo de análise expõe a eficácia do gerenciamento da fazenda e as possíveis falhas nele.

E veja que não há complexidade.

Para as questões estruturais pode ser algo qualitativo mesmo, algo visual e da sua percepção. E para os indicadores basta que se tenha as informações.

Por isso a importância de se começar a medir os dados da sua fazenda. Sem informações não há como gerenciar nada.

Desde que se tenha um base histórica de dados é possível realizar esta análise.

Entenda é que é preciso que exista uma evolução.

Não é meramente uma questão de melhorar por melhorar ou algum tipo de desejo pessoal do produtor. É necessário.

Vamos focar um pouco aqui nos indicadores.

Se voltarmos a 5 anos atrás, sua fazenda estava tendo um desempenho melhor ou pior do que agora?

Compare os números. Veja a diferença de produtividade, a diferença de lucratividade, de rentabilidade, analise a evolução dos custos e a evolução das receitas, qual aumentou mais?

E depois vá atrás dos "porquês".

De certo modo, todo gestor precisa ser um pouco fanático em perguntar porquê. Mas não estou me referindo ao porquê de entender a razão ou motivo de tal coisa.

Mas a razão ou motivo do resultado.

Há uma diferença sutil nisso.

Considere que, segundo os dados, nos anos em que uma fazenda iniciou o plantio na primeira quinzena de outubro ela obteve produtividades menores do que nos anos em que se iniciou a safra na segunda quinzena.

Ou então que, segundo os dados também, uma fazenda que conseguiu emprenhar as novilhas com 13,8 meses conseguiu obter produtividades maiores das vacas do que quando se emprenhou com 15 meses.

Perceba que, para os gestores dessa fazenda, pouco importa a razão disso.

Você não precisa entender o motivo ou a causa disso.

O que precisamos entender é que, segundo os dados da minha fazenda, é mais vantajoso eu esperar a segunda quinzena para plantar e mais vantajoso eu emprenhar as novilhas mais próximo dos 13,8 meses do que próximo aos 15.

A causa desses efeitos nós deixamos para os pesquisadores e cientistas.

Não falo isso com demérito, é claro. São apenas objetivos e interesses diferentes.

O que nós, como gestores, queremos saber é o que gera o melhor resultado para a empresa rural.

É este tipo de porquê que devemos ser fanáticos.

Por que este resultado foi melhor do que aquele? Por que este foi pior?

E aí podemos aprofundar nos dados à medida que for do interesse.

Se os dados estão mostrando que o plantio na segunda quinzena está gerando melhores resultados, vamos analisar os dados de mm de chuva agora para deixar a avaliação mais precisa?

Se as novilhas que emprenham com 13,8 meses estão se tornando mais produtivas, vamos procurar analisar os dados de pesos para fazer uma avaliação mais profunda?

Percebe que uma evolução da fazenda passa por uma boa análise dos dados e, posteriormente, definição de estratégias condizente com a análise?

E ao longo do tempo devemos (e precisamos) fazer estas avaliações, pois a fazenda é um organismo dinâmico.

Pode ser que com os dados deste ano, os resultados da análise mude completamente.

Portanto, nada mais simples do que, primeiro, analisar a evolução destes dados. Isto é, está havendo melhora ou piora?

Diante desta resposta vá atrás dos "porquês" e defina um planejamento em cima disso.

E, caso ainda não possua um histórico de dados, nada melhor do que o agora para começar.

Não se preocupe com complexidades, comece anotando tudo que achar que poderá ser relevante para o desempenho. Ou, simplesmente, comece anotando tudo que puder e com o tempo você vai começando a sentir o que é mais importante e o que é desnecessário.

O fundamental é que você tenha dados da sua empresa rural. Sem eles nada podemos fazer.

Sem eles não podemos avaliar a evolução do negócio.

E sim, a fazenda precisa evoluir. Precisa gerar resultados melhores a cada ano. Encare isso como uma competição. Você contra você mesmo na gestão. Sua fazenda contra a sua fazenda do ano anterior.

Procurando melhorar o desempenho sempre.

Um forte abraço,

Autor
Gabriel H. Lima
Eng. agrônomo e fundador da PATRIA

Imagem